Cinto de segurança em ônibus

Eu nunca entendi por que os ônibus não têm cintos de segurança para os passageiros. Toda vez que pego um busão, fico imaginando que, se o motorista frear bruscamente, vou bater com o meu rosto no encosto da frente, quebrar os ossos da face, perder uns dentes… É, é paranoia. Ou não. Nos dois últimos acidentes de ônibus com vítimas aqui no DF, eu ouvi o mesmo depoimento: pessoas caindo umas sobre as outras, pessoas sendo atiradas contra os vidros, contra os bancos, etc. Ah, peraí, não é possível! Um monte de gente saindo arrebentada e ninguém fala nada?

Fui pesquisar quais são os itens obrigatórios de um veículo, pois eu pensava que cinto de segurança era item obrigatório em todos os automotores. Encontrei a Resolução nº 14/98 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) e quase capotei (!) quando li o inciso IV do artigo 2º: não se exigirá cinto de segurança para os veículos destinados ao transporte de passageiros, em percurso que seja permitido viajar em pé.

Qual é a explicação lógica pra isso? Como pode um trambolhão daqueles circular sem o mínimo de segurança para seus passageiros – e isso estar dentro da lei?

Sério, não entendo mesmo. Eu já perdi as contas de quantas vezes entrei em ônibus cujos motoristas passam de 80Km/h em vias com velocidade máxima de 60Km/h. Não adianta colocar barreira eletrônica; o cara reduz para não ser multado, mas em seguida desce a lenha de novo no acelerador. E quem se ferra nessa é sempre o usuário de transporte público; transporte insuficiente, velho e inseguro.

Você já parou pra pensar nisso? Você também tem medo? O que podemos fazer?

Anúncios

4 comentários sobre “Cinto de segurança em ônibus

  1. Achei que era uma paranóia só minha! Quantas vezes eu estava sentada naquele banco logo atrás do motorista, pensando “se o ônibus der um solavanco eu vou enfiar minha cara nesse vidro”. É o equivalente a bater a cabeça o pára-brisa!

  2. Se tem algo que eu filosofo todo dia é sobre ônibus, mas nunca pensei nessa do cinto de segurança.

    Eu vivo em pé em ônibus, tenho um azar danado porque aqui onde eu moro passa ônibus a cada 20 minutos (em horários de pico!) e sempre vem lotado. Acho que quem mais sofre é que está em pé, poderia até ter cinto de segurança, mas quem vai em pé é quem vai se esborrachar no chão pra valer.

  3. Nunca pensei nessa questão do cinto de segurança, tanto porque acho que não iria gostar muito da idéia se ela fosse obrigatória.
    Não sei, talvez o motivo da não obrigatoriedade seja para poder acomodar o número máximo de pessoas lá dentro. E se os cintos existissem (a obrigatoriedade de usá-los), teriam que limitar o número de passageiros por viagem, para que todos usassem o cinto, então acho que fica inviável.
    Bjitos!

  4. Oi minha lindaaaa!!!! Adoreiii seu comentário, muitoooo obrigada!!! *_*
    Ai Tati, muita coisa acontecendo sem acontecer sabe??? Aff!
    Tô fu** mas de boa, é a vida!! :S
    (…)
    Menina, vou ser sincera contigo: eu não ando de busão, não sou de andar… tive a sorte de ter sempre um carro à minha disposição. Mas com certeza, quando eu tinha que pegar, ficava pensando nisso. Às vezes eu fazia tanta força pra me manter no assento, simplesmente pra não meter a cara no encosto da frente!
    Ou quando se está em pé, terrível!
    Realmente é de se pensar.. eu não sei se os ônibus entram na lei, ou se entra, por que não há uma fiscalização em cima, sei lá…
    É de se pensar mesmo…

    Beijos!!! Bem vinda de volta!!! ;***

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s