Não temos um Barack Obama!

Tá pensando que engana quem?

[tweetmeme]Em ano eleitoral, proliferam na web textos sobre o uso inédito da internet em eleições no Brasil. Análises, profecias e estudos para esmiuçar as estratégias de comunicação dos candidatos e compreender como é a relação “do político”¹ com o eleitor. Nesse raciocínio, é praticamente inevitável falar de Barack Obama, o case absoluto de sucesso. Foram 500 milhões de dólares arrecadados online, o que corresponde a dois terços da verba de campanha dele. A mobilização gerada com vídeos no YouTube e com a rede My.BarackObama.Com, a contribuição dos eleitores na produção de conteúdo e compartilhamento de informações dentro e fora da web, essas ações nunca foram tão expressivas, não se esperava um retorno tão grande  — lembrando que nos EUA o voto é facultativo.

O ponto é que o sucesso da campanha de Obama não se deve somente à internet. A proposta de governo, a possibilidade de se tornar o primeiro presidente negro na história dos EUA, o carisma e a oratória poderosa de Obama contribuíram fortemente. É um apelo que nenhum dos candidatos à presidência do Brasil têm atualmente. E mesmo que tivesse, o trunfo da campanha jamais estaria na internet. Isso porque menos da metade da população brasileira tem acesso à internet segundo dados do IBGE.

Mesmo assim, os candidatos estão investindo maciçamente na web. Site turbinado, canal no YouTube, perfil/comunidade no Orkut, conta no Twitter. Tudo operado por assessores que não dão a mínima para o aspecto mais fundamental das mídias sociais: a interação. É uma coisa meio louca se você for analisar a situação. As assessorias criam contas, perfis e páginas nos serviços com o pretexto de se aproximar do eleitor, mas ignoram replies e comentários.

Em maio, Cláudio Torres, especialista em marketing político digital, fez um teste simples para saber se os candidatos à presidência da República José Serra, Marina Silva e Dilma Rousseff eram realmente tuiteiros. É bem oportuno destacar o resultado:

Uma maratona de mais de 16 horas no Twitter mostrou que, dos três pré-candidatos, a maioria usa perfis no Twitter para enviar informações sobre suas campanhas, mas ignoram por completo questionamentos dos Internautas que usam a ferramenta. Só Serra realmente respondeu.

Acompanhei a experiência do Torres desde o início e já esperava por isso. É ridículo ver como os candidatos, que tanto fazem pose de “quero me aproximar do eleitor”, cometem um erro tão primário como esse. Há quem ache que a culpa não é do político, mas da empresa de comunicação responsável pela campanha. Pra mim, a agência tem uma parcela de culpa, mas o candidato também não é santo, pois na hora de dizer que tem blog, tem Twitter, ele espalha aos quatro ventos, mas na hora de “assumir a paternidade”, esquiva-se.

As mídias sociais deveriam ser o “novo corpo a corpo” das eleições, mas o que se vê é o cúmulo da hipocrisia e da estupidez. É normal ter uma assessoria responsável pela comunicação da campanha, só que isso deveria ficar claro ao eleitor. Agora, imagine você, se o candidato já mente numa situação relativamente simples como essa, o que esperar dele em cargo político?

Anúncios

8 comentários sobre “Não temos um Barack Obama!

  1. Eu vou ser bem sincera dizendo que não entendo e não ligo para política. É bem a verdade. Mas em relação à “interação” dos partidos através das redes sociais está crescendo! Vários políticos têm me adicionado no twitter, rede na qual fico mais, e têm feito suas propagandas, divulgação de links e tudo mais…
    Mas na TV, na rua, nos jornais, eu não tenho visto muito a respeito. Muito bem colocado por ti!
    E a resposta via replys são praticamente nula!!!

    Beijos!

  2. também não entendo muito bem porque os candidatos brasileiros se ‘preocupam’ com redes sociais quando quase ninguém nesse país usa a internet pra saber de candidatos etc., e além disso a maioria de nós não tem uma boa conexão (entre os que têm acesso…). já não ligamos muito pra política, com aquele tipo de ignorância de viver reclamando de político mas quando é pra se envolveer e tentar mudar alguma coisa, ninguém aparece; se nem horário eleitoral o povo ouve, imagina acessar a internet pra procurar saber mais…

    fiquei com medo dessa foto da dilma, na verdade mais e mais o lula me lembra o putin nesse ponto de ‘escolher um sucessor’, e a dilma, o bonequinho que ele vai colocar no poder…

  3. “O maior castigo para aqueles que não se interessam por política, é que serão governados pelos que se interessam.”
    -Arnold Toynbee-

  4. Pessoal daqui ainda não sacou qual é a das mídias sociais, se as empresas mais antenadinhas ainda estão penando para conseguir chegar ao ‘coração” do internauta, e já estão há um tempo nisso, imagina os políticos, que chegaram de para-quedas agora nessa história? É tipo avô chegando pros netos falando que esse tal de Twitter é uma bras,a mora?
    beijo

  5. Eh complicado querer usar maciçamente algo que não tem conhecimento profundo…ainda mais citar Barack e a interação da campanha … por que nos brasileiros temos a mania de comprar ideias americanas e não entender o fundamento da mesma? ai ai… aproximação de político que não sabe nem as ideias que constam no seu próprio planejamento… é um absurdo… :/ a palhaçada da campanha via twitter dos candidatos brasileiros é engraçada, ainda mais ver o Serra se achando moderninho… oi gente, eu uso twitter, eu sou legal, votem em mim…aff :(
    beijos
    boa semana

  6. Eu acho que no Brasil o voto deveria ser facultativo. Pq tem gente que vota por votar, escolhe na hora, e acaba mudando os números “na sorte” e elegendo pessoas erradas. Com o voto facultativo, só votaria quem tem mesmo intenção de fazer o bem pro país.
    Se eles não respondem as pessoas no Twitter, INOCENTE é quem acha que eles vão ouvir o povo depois de serem eleitos.
    Triste, realmente triste.

  7. Acho que minha tara pelo Peter Parker e Homem Aranha + fotografia ajuda bastante a gostar mais dele do que do Mark no filme De repente 30!
    Huahauhauha
    Mas eu acho também que o Mark é um fotógrafo mais criativo, mais para profissional mesmo, na área que eu gostaria de atuar, caso fosse fotógrafa!!
    ;)

    Bom final de semana Tati!

  8. É verdade… Achei bem interessante esse negócio do twitter e tudo o mais. Mas logo que entrei e que pensei melhor, a ideia de que eles pudessem responder aos “internautas” me pareceu bem longe da possibilidade… Aliás, nem imagino que eles tenham tempo pra isso. Se respondessem, imagina quantas pessoas não escreveriam? Mesmo que quisessem não seria tarefa fácil. Acho que ainda não estamos diante da solução desse problema. Mas realmente, hipocrisia é que não dá. O melhor é deixar claro o objetivo dos meios de comunicação, aliás, aposto que as vezes nem são eles mesmo que escrevem no twitter…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s