Professor, respeite o aluno

Existe, a meu ver, um problema crônico na universidade pública brasileira: o professor não está nem aí pro aluno. Os que se importam, infelizmente, são raras exceções. A maior parte dos professores tem um problema que afeta a relação com a turma: pode ser o diabo do ego, ou a desesperança com o magistério, ou a tendência ao totalitarismo, ou ainda algo que eu denomino deficiência pedagógica.

Quando se está no ensino superior, principalmente na segunda metade do curso, além de se dedicar aos estudos, é comum ter um emprego. Com isso, o tempo ocioso diminui. Em uma parte do dia, aula; em outra, trabalho; em uma terceira parte, estudo e pesquisa. Menos horas de sono e de lazer. Prazos curtos para entregas de trabalhos.

E o professor? Ele (ou ela) não se importa, na maioria das vezes. Na cabecinha dele, o aluno tem de se dedicar exclusivamente à disciplina dele, pois o estudante só tem aquilo para se preocupar na vida. Evidente. E aí a deficiência começa a se manifestar: Tudo bem o professor chegar atrasado, ir além do horário da aula, demorar a entregar o resultado das provas. Agora, o aluno…

Pra mim, isso é falta de respeito. É muito inconveniente – pra dizer o mínimo – quando a professora chega quase meia hora atrasada na aula que começa às 8h da segunda e nem pede desculpas. Pior é quando ela resolve estender a aula para depois do meio-dia (horário em que a aula deveria terminar) e praticamente “intima” os alunos a ficarem depois do horário.

E meu almoço, como fica? Quando eu ficar doente, a professora vai cobrir minhas faltas no trabalho? E falando em trabalho, ela vai ligar pro meu chefe pra explicar meu atraso? Estudante não está com a vida ganha. Quando se começa a trabalhar ou estagiar, então, tempo é valiosíssimo. Cinco minutos fazem diferença: o trânsito piora, o ônibus já passou, a fila do restaurante fica maior.

Todo mundo tem problemas e horários a cumprir. É preciso bom senso, responsabilidade e, acima de tudo, respeito. Nem todo mundo gosta de acordar cedo pra ir à aula, principalmente quando o professor é chato e faz o que bem lhe der na telha. Como exigir comprometimento nessa situação? Como interessar os alunos quando não existe relação de confiança?

A época da submissão em sala já se foi, principalmente no ambiente universitário. Agora o conhecimento não é só “passado”, ele é discutido. Existe uma via de mão dupla entre professor e aluno; um ensina ao outro, um aprende com o outro. O diálogo e a colaboração são muito maiores. Por que o respeito não pode seguir o mesmo caminho?

Anúncios

9 comentários sobre “Professor, respeite o aluno

  1. Felipe

    Será que a professora faria o mesmo num congresso ou numa sala de aula da pós-graduação? O problema é que certos professores não entendem que estão lidando com adultos, com pessoas que têm as mesmas necessidades e problemas que eles próprios. Tá bom, certos alunos não agem como adultos, mas isso não justifica essa atitude.

    Essa questão seria facilmente resolvida se todos os alunos soubessem se posicionar e argumentar. Mas muitos ainda são imaturos demais: ou aceitam facilmente os desmandos do professor ou partem para discussões irracionais e perdem a razão. Cabe ao aluno agir como adulto. E o professor também.

    Belo post.

  2. pelo jeito não é só na universidade pública, na puc está cheio de professor estrelinha.
    tem uma em especial que, acredito eu, deveria estar dando aula para o primário.
    sempre chega atrasada mas “dá bronca” em quem chega depois dela.
    fica interrompendo SEM PARAR os trabalhos que estão sendo apresentados pelos alunos (isso é MUITO irritante, falta de respeito total e odeio).
    dá chilique quando o celular de algum aluno toca na aula e LOGO DEPOIS o celular DELA toca na aula.
    na aula passada ela deu bronca em uma aluna por estar passando CREME NAS MÃOS durante a aula dela. shhh..

    claro que ela não é a única, mas a maioria dos professores é bem menos… infantil.

  3. olá :D
    eeeita q eu poderia copiar e colar esse post lá no meu blog q seria um desabafo completamente meu…
    rapaz… como to sofrendo esse período
    bem como vc dissE: segunda metade do curso… assim estou eu, no 6º período de 8!

    Tá uma barra q só vendo
    e a gente sempre comenta isso: q os profs pensam q a gt so tem a disciplina deles pra se preocupar
    pede absurdos de coisas e a gt q se vire pra cumprir…

    To sem guentar esperar pra dezembro…
    Férias!!
    Inda bem q amanha jah eh novembro!! rs :D

    Bom post!! ;)
    Beijos!!

    1. Haha, estamos no mesmo período!
      Pra mim o semestre está só começando, pois com a greve no início do ano as aulas ficaram atrasadas. Conclusão: meu 6º período começou só em setembro (e só termina em fevereiro). =(
      Tomara que a gente sobreviva! Beijão!

  4. Hey Tati ^^

    Não é só na universidade pública, eu mesmo já vivenciei cada história, é cada professor que eu em particular não sei o porquê de estar ali ¬¬
    Fico pensando numa pós + quando lembro o que vou ter que enfrentar novamente acabo adiando.

    Xoxo

    :: Loma

  5. Eu fico com a impressão que os professores acham que estão fazendo um grande favor em te ensinar “de graça”, como se faculdade publica fosse a coisa mais fácil do mundo para se entrar.

    Você está certa, é uma falta de repeito com os alunos. Faculdade não é ensino médio onde a única coisa que você tinha para fazer era ir para escola e talvez um cursinho… :/

    Beijos!

  6. É, ainda não entrei na universidade, mas já ouvi muito falar disso. Isso do professor achar que só a matéria dele importa e que vc te sempre tempo disponível par as tarefas dela é um aburdo.
    Também acho que os professores tem que respeitar mais os alunos, mas na mesma medida, alunos também tem que respeitar professores, coisa que às vezes falta mesmo.
    Isso tudo é consequencia do problema crônico dos ser humano de ser tão egoísta e não pensar nas consequencias de seu atos!

  7. Pingback: Tanto faz se falta tempo « Fora de Controle

  8. Karina

    Passo por isso com um professor desde o 1º semestre e estou no 3º. Ele chega praticamente todas as aulas com 50 minutos, 1 hora de atraso e ainda dá aula de 45 min a 1 hora e 15 de duração. Nosso horário é das 08:00 as 11:30 e ele dá aula das 09:00 a no máximo 10:15 (isso com 30 min de intervalo) e semana retrasada, deu aula das 09:00 as 09:45. Já fiz reclamação no 1º semestre, que de nada adiantou, fiz recentemente pra ouvidoria com cópia pra coordenação, já chutei o balde, mandei pacote completo de reclamações desde sala que inunda qdo chove, a falta de limpeza das salas e banheiro, dos atrasos e do pouco tempo de aula, e o coordenador o chamou pra conversar. E a desculpa dele é problema particular. Tipo, e nós alunos que estamos pagando pra aprender e ouvir toda santa aula que ele pegou trânsito, que o carro isso, aquilo. Mas o que mais me chateia são as pessoas da sala, a maioria bebês de fralda que metem o pau nele mas na hora de fazer nada, dizem que não pq ele vai descontar na prova. Pois bem, fiz eu sozinha, ele foi chamado, sabe que fui eu que reclamei pois faltou ética da coordenação, me deixando exposta a essa situação, e agora, a sala o defende, coitadinho, quando falo que ele não tem comprometimento, responsabilidade e muito menos respeito por nós que chegamos no horário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s